“A inovação não consegue viver com a burocracia excessiva”.

Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae, defende avanços na Rede Simples e no Projeto Crescer Sem Medo para estimular o empreendedorismo

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, afirmou nesta sexta-feira (10/06) que a melhoria do ambiente de negócios e asimplificação no Brasil são fundamentais para estimular a capacidade de inovação nas empresas.

“A inovação não consegue viver com a burocracia excessiva”, disse ele, que participou, em São Paulo, do evento Empreenda Portugal 16, que teve como tema a inovação e o empreendedorismo como ferramenta de transformação.

Afif destacou que Portugal, identificado com a matriz da burocracia brasileira, realizou avanços nesse campo – em medidas como o tempo e o volume de documentos exigidos para a abertura de empresas -, enquanto o Brasil ainda precisa de um ambiente mais favorável ao empreendedorismo.

“O número de documentos exigidos em Portugal são três, enquanto que no Brasil são 20. Já o tempo de abertura de empresas no Brasil chega a 120 dias, enquanto que em Portugal são dois”, enfatizou.

Para melhorar o ambiente de negócios no Brasil, o presidente do Sebrae destacou que, no prazo de seis meses, deve estar implantado em todo o país o sistema que permite a abertura de empresas em até cinco dias (Rede Simples), que já funciona com sucesso em Brasília.

Outro avanço citado por Afif foi o de facilitar o processo de fechamento de empresas, mesmo que ainda tenham débitos fiscais. “São pontos fundamentais em um ambiente de negócios não hostil à criatividade e ao empreendedorismo”, enfatizou.

Quer saber mais sobre Direito Empresarial? Assine nossa newsletter!

As dificuldades de crédito impostas aos pequenos negócios, tanto com relação às taxas de juros, quanto ao volume de garantias exigidas também foi outro ponto abordado no evento.

Um avanço importante, segundo ele, é a oferta da linha de crédito para capital de giro com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), no valor total de R$ 5 bilhões, destinadas às empresas com faturamento até R$ 3,6 milhões.

Essa linha de crédito – com taxas mais baixas que as praticadas pelo mercado – será lançada em um mutirão de crédito orientado promovido pelo Sebrae, pelo Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e pela Agência de Desenvolvimento do Grande ABC, que ocorrerá em 17 de junho, em São Bernardo do Campo.

O presidente do Sebrae ressaltou ainda a criação da Empresa Simples de Crédito (ESC), que faz parte do projeto Crescer Sem Medo, que deve ser votado pelo Senado na próxima semana. De acordo com o projeto, o cidadão poderá emprestar recursos próprios para pequenos negócios, o que deverá estimular mais concorrência no crédito.

Outro ponto do projeto Crescer Sem Medo, conforme explicou Afif,  traz uma medida que pode estimular os investimentos em startups no Brasil. “O projeto prevê a desvinculação do investidor com a operação da empresa”, lembrou.

Fonte: Diário do Comércio.

Leave a Reply